Muitas pessoas, atualmente, sonham em realizar procedimentos estéticos e reparadores. Quando o assunto é CIRURGIA PLÁSTICA, certamente são bem comuns os questionamentos:

– Será que eu posso fazer cirurgia plástica?
– Como ter certeza de que é a hora certa?
– Existe alguma restrição que me impediria?

E é justamente sobre isso o nosso artigo de hoje… Afinal: TODOS PODEM FAZER CIRURGIA PLÁSTICA?

Se esse tema é interessante pra você, é só continuar lendo – esse conteúdo pode ser bastante útil e esclarecer muitos pontos na sua cabeça!

Vamos lá?

De acordo com a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), em termos gerais, existem poucas restrições para quem quer passar por procedimentos.

Resumidamente, podemos afirmar que estão aptas:

1) Pessoas saudáveis que não tenham doenças com risco de morte ou condições médicas que possam prejudicar a cicatrização.

2) Indivíduos com uma visão positiva, objetivos específicos e expectativas realistas sobre os resultados.

Porém, sabemos que essas diretrizes são muito gerais e vagas, podendo causar certa confusão sobre quem se encaixa nesses requisitos ou não! 

Vamos conversar sobre isso mais detalhadamente?

O primeiro ponto é referente às doenças pré-existentes que comprometem a recuperação do organismo após o trauma cirúrgico, ou que podem gerar complicações mesmo durante a realização da operação!

Doenças crônicas graves, quadros clínicos de baixa imunidade e problemas nutricionais, ou mesmo a condição de fumante, são exemplos de sinais que merecem muita atenção e cuidado.

O hábito de fumar prejudica o processo de cicatrização e o ideal é que o paciente não tenha esse elemento presente em seu cotidiano. Contudo, sabe-se que caso o paciente seja fumante, basta que ele interrompa o uso durante um período recomendado pelo médico responsável – antes e depois da operação… 

E, claro: o período de abstinência temporária pode facilitar para que o indivíduo deixe o hábito de forma definitiva, isso é sempre incentivado.

Já o segundo ponto, é mais relacionado ao estado psicológico e emocional do paciente – uma preocupação latente com questões de saúde mental e autoestima. É importantíssimo ressaltar que o desejo por uma mudança corporal, principalmente envolvendo procedimentos cirúrgicos, deve partir do próprio indivíduo. 

A cirurgia deve ser feita para satisfação pessoal e melhora na qualidade de vida individual – e nunca apenas para agradar ao outro, atender expectativas de terceiros ou meramente se encaixar em padrões ideais criados pela sociedade. 

Fora isso, a questão da expectativa também é crucial: uma percepção equivocada em relação aos resultados, ou uma motivação que foge ao real objetivo da cirurgia, podem levar o médico a notar que não é o momento correto, ou pedir que o paciente amadureça a ideia.

Nessa altura, alguns itens já ficam mais esclarecidos, não é mesmo? Mas existem outras dúvidas que podem surgir, vamos continuar essa conversa? É só seguir lendo!

Uma super polêmica ao redor do assunto é a questão da IDADE! Existem restrições de FAIXA ETÁRIA para realização de cirurgias plásticas?

Cada vez mais cedo os jovens vêm se preocupando mais e mais com autoimagem – muito motivados por opiniões alheias e também redes sociais. Consideramos que, somente no fim da adolescência, na faixa dos 18 anos de idade, há maior maturidade emocional e consciência sobre o todo – possibilitando uma tomada de decisão mais assertiva e segura.

Entretanto, existem casos de cirurgias reparadoras que podem sim ser feitas antes dos 18 anos – tudo depende da necessidade do paciente, seu quadro e histórico clínicos e contexto social. 

Os procedimentos só devem ocorrer sob supervisão e responsabilidade de um médico cirurgião plástico membro titular da SBCP – somente esse profissional especializado pode avaliar as condições e orientar sobre as contra indicações e riscos em cada caso!

Seguindo adiante, vamos agora abordar quais problemas de saúde podem impedir a realização da cirurgia plástica.

– COAGULAÇÃO SANGUÍNEA INEFICIENTE: Hemofilia, trombocitopenia, doença de von Willebrand, deficiência de vitamina K…

– RISCOS DE TROMBOSE: A tendência à formação de coágulos pode trazer muitos problemas ao paciente durante a recuperação pós-cirúrgica.

– OBESIDADE: Riscos de problemas cardiovasculares durante e após a cirurgia são muito aumentados em pacientes obesos, tornando isso um fator de impedimento. É preciso adotar um estilo de vida saudável e estar ao máximo próximo do peso ideal indicado pelo IMC antes de realizar a cirurgia – e vale lembrar que os procedimentos não são métodos de emagrecimento, mesmo a lipoaspiração ou a abdominoplastia, por exemplo!

– INFECÇÕES DE QUALQUER ORDEM: Resfriados ou gripes, infecção de garganta, infecção urinária, sinusite, candidíase, entre outras! Por mais que pareçam simples, devem ser totalmente tratadas e sanadas antes da cirurgia – seus microorganismos podem se espalhar durante a recuperação e levar a infecção generalizada.

– PROBLEMAS CARDIOVASCULARES: Hipertensão, arritmia cardíaca, pericardite, histórico de infarto, cardiomiopatias, doenças das válvulas cardíacas, disfunção da aorta… Os distúrbios devem estar totalmente controlados para a realização da cirurgia.

– CÂNCER: Os tratamentos agressivos enfraquecem o sistema imunológico e comprometem a possibilidade de uma cirurgia e recuperação seguras… Os cuidados nas avaliações devem ser redobrados nesses casos!

Outras questões podem surgir… Como, por exemplo:

– A CIRURGIA PLÁSTICA PODE SER FEITA QUANTO TEMPO APÓS A CIRURGIA BARIÁTRICA?
De 3 a 6 meses após a estabilização do peso – o que, por sua vez, pode levar de 12 a 18 meses! E, claro: manter as consultas e exames em dia, estar saudável e com hábitos positivos e não apresentar tendência imediata de voltar a ganhar peso.

– ESTOU ACIMA DO PESO, POSSO OPERAR?
Depende do tipo de procedimento, e também se é apenas uma questão de sobrepeso ou se trata-se de obesidade e sedentarismo absolutos. Para essa dúvida, aplica-se a máxima: CADA CASO É UM CASO! Siga as orientações específicas de seu médico para você.

– E CIRURGIA PLÁSTICA APÓS A GRAVIDEZ?
Em média, de 6 meses a 1 ano após o parto – mas tudo depende de qual é o procedimento desejado! É necessário esperar o corpo desinchar, considerar o tempo recomendado de amamentação e as variações hormonais do período. O médico responsável deve orientar mais especificamente!

– QUEM TEVE COVID-19 PODE FAZER CIRURGIA PLÁSTICA?
Sim, nos casos leves em que a pessoa passou por isolamento domiciliar durante o tempo recomendado e não apresenta mais sintomas. Já nos casos graves, só após indicação do exame laboratorial de que não há mais a presença do coronavírus no organismo. Fora isso, aplicam-se os mesmos critérios gerais: avaliamos se o paciente está saudável, se apresenta algum quadro clínico preocupante, ou possível sequela!

Essas são as dúvidas mais comuns que surgem no dia a dia dos consultórios de cirurgiões plásticos, sobre possíveis restrições e contra indicações.

Ressaltamos a importância da AVALIAÇÃO MÉDICA e dos EXAMES PRÉ-OPERATÓRIOS, são essas fases que vão determinar se o procedimento é de fato seguro para você! É preciso respeitar suas limitações e confiar nas orientações de seu médico que, sem dúvidas, preza por sua integridade, saúde e bem estar.

Aqui na Clínica Varela, somos especializados em CIRURGIAS PLÁSTICAS REPARADORAS PÓS-BARIÁTRICAS, focados em soluções para excesso de pele, flacidez e cicatrizes.

São mais de 10 anos de experiência em REALIZAR SONHOS e devolver a autoestima. Junto de nossos pacientes, construímos uma história de confiança e respeito! CUIDAR DAS PESSOAS É A PAIXÃO QUE NOS MOVE.

Entre em contato conosco para saber mais:
(21) 3570-0705
(21) 99986-0705

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *